A descoberta









29.03.2018





Oi gente!
Hoje tive uma linda descoberta e quero compartilhar com vocês.



Eu sempre acreditei que…



Cada um nasce com um propósito. Você escolhe o seu caminho para realizar esse propósito.



Mas, quando você é pequeno não consegue identificar muito bem esse propósito por falta de conhecimento de si mesmo.



Quando era menor, por volta dos meus nove anos ( E lembro a cena como se fosse hoje, sentada no banco de trás do carro, que não era nosso, ouvindo minha mãe falar sobre as dificuldades de sua vida com seus filhos e a falta de oportunidade que advém de geração para geração) eu desejava crescer para ser presidente.



Logo, logo pude descobrir que no meu país, ser presidente não me daria condições de realizar o meu propósito.



Sempre fui tímida e condicionada a não expôr quem de fato eu queria ser. Cresci entendo que mulher não podia se mostrar pro mundo. Que viver de seus propósitos é algo insensivelmente perigoso para a sociedade em que ainda vivemos e vai de encontro a educação que culturalmente diz que mulheres devem seguir um padrão para adquirir respeito.



Mas, confesso que eu nunca aceitei, embora seguisse as regras da educação que eu tinha e do meio em que vivia.
Nunca aceitei porque eu queria ser mais do que via e do que vivia. No meu olhar, a realidade era cruel para as mulheres especificamente, até porque eu estava sendo impedida de ser quem eu queria ser porque as pessoas falariam de mim.



O tempo foi passando e acabei entrando na igreja, lá eu fui de um grupo de música, aprendi a cantar e a fazer teatro. Naquele momento, embora tímida, eu fui entendo que a felicidade fazia parte do meu dia a dia enquanto podia ser algo que na realidade eu não “deveria”



Na adolescência, passei por situações piores, mas não sabia dizer não, não sabia que podia ter coragem de dizer o que eu tinha vontade, e isso hoje, vejo com clareza, que foi por falta de segurança de saber sobre mim, autoconhecimento e até base familiar e mais do que isso, base política.



Meu país não quer pessoas que pensam, meu país não quer mulheres assumidas. Então, ele não gera nenhuma condição para que tal comportamento floresça. E por mais que eu fosse diferente do que recebia, esse comportamento de querer ser livre que também era da minha mãe, outra vítima da falta de apoio familiar, econômica e político… Seria quase impossível sair das algemas, o que fez com ela nos mostrasse que nada podia ser feito a não ser respeitar e seguir as regras do meio para sobreviver.



Volto a dizer que, eu não consegui seguir essas regras, tudo em mim era mais forte. Eu queria ser livre, queria viver daquilo que eu acreditava. Me sentia uma escrava nas terras do senhor do engenho.



Fui para uma escola, que hoje nao existe mais e fiquei lá dois anos. Vivi uma das maiores felicidades que pude experimentar, mais uma vez, entrei no universo da música, aprendi a tocar instrumentos e a ler partitura musical. Eu me sentia tão feliz em poder expressar através de alguma coisa quem eu era. Mas, por falta de condições, tive que voltar ao colégio municipal.



Fiquei dois anos em colégio público e nunca deixei de me observar naquele universo. Me sentia mal porque queria ser mais do que recebia e descobri que precisava estudar muito.



Depois fui para um colégio de freiras, o que minha mãe conseguiu com bastante dificuldade, lá eu vivi os melhores momentos de minha vida longe da rigidez de casa. Eu fui para o Teatro, dança e música. Ali, eu era tão livre, mas tão livre que não tinha vontade de voltar pra casa. Era tão bom poder ser quem eu era sem ter que trancar a minha verdadeira essência. Vocês podem não acreditar, mais lá, eu recebi respeito por ser quem eu era. Não por causa das freiras e sim porque a nossa coordenadora era livre. Ela batia no peito e assumia quem ela era. E enfrentava a fúria das mães tradicionalmente escravas com a sua absoluta verdade em ser. Grudei nela, e enquanto estive lá, que foram maravilhosos 6 anos, eu fui a pessoa mais feliz do mundo… Até a hora de voltar pra casa.



Foi quando descobri que queria ser artista.
Fui para a faculdade de artes cênicas e nunca mais parei.
Descobri que tinha um meio que me acolhia para viver a serviço de levar não só alegria ao mundo, a pessoas, como também reflexão e transformação através dela.



O que eu buscava? O que eu queria?
Achava que queria salvar mulheres que eram escravas do meio como vi e vivi por anos.
E muitos falam que essas mulheres estão aí porque querem. E eu digo pra vocês, elas não estão lá porque querem. Elas não conhecem outra maneira, elas acabam entrando até em um ciclo vicioso de uma história cultural e se acostumam nele.



Por que eu tô falando essa parte da minha história?
Porque hoje descobri algo que me fez sair de uma prisão que estive por anos.



Ao longo de sua vida, você vai agindo de acordo com os meios que você tem para alcançar algo que você acha que sabe.
O tempo vai passando e você encontra obstáculos, muitos conseguem passar por eles, mas tantos outros desistem porque param de acreditar que um dia chegarão devido a falta de oportunidade de ser o que o lugar aonde estão não querem que sejam. Me fiz entender?
Então, o perigoso nisso é parar e nunca mais voltar.
Você acaba por se frustrar ou até desacreditar da vida.



Por que isso acontece?
Porque você não conhece sobre você, sobre o que veio fazer aqui, sobre o que é importante para você que acabará sendo importante para o mundo em um momento. Afinal, a sua história pode ser a solução para o problema do outro.
Quando você passa a conhecer sobre seus desejos, porque são tão importantes e a felicidade que traz a você e quem está a sua volta… Tudo começa a fazer sentido. É nesse momento que tudo flui.



Como saber se você está no caminho certo? Deixe a paz entrar em você. Acredite que o poder daquilo você acredita acontecerá porque você está feliz e muitos a sua volta estarão. Enquanto tiver medo, dor, insegurança e falta de fé, significa que você ainda não conhece sobre você. E conhecer sobre você é PODER total.



Eu escolhi ser artista, sempre quis ser uma pessoa publicamente conhecida, porque além de fazer o que amo e isso transforma pessoas, ajuda, alegra e transmite mensagens, eu quero levar a minha história e a minha superação através dela. Qual era o motivo? Viver das minhas condições, dos meus valores, sentir felicidade, não ser “vaquinha de presépio” do meu país e nem da minha cultura.
Eu queria mostrar que da pra ser quem a gente é e ainda levar muita coisa boa para quem quer deixar um legado como eu quero.



Então, minha descoberta hoje me fez tirar as próprias correntes que me coloquei por pensar: ” O que estou fazendo de errado se meu sentimento é todo certo?”
Quero ser feliz com a minha família, viver de acordo com quem sou e falar da minha história para que o mundo possa usufruir e utilizar para a sua felicidade.



O problema não sou eu.
O problema nunca foi a minha pessoa.



O país que vivo ensinou que ser celebridade é ser gostosa ou “ridícula” ou lindo.
O país que estou não tem valores, não tem ética e nem moral.
O país que estou infelizmente será a realidade de muitas famílias sem nada, sem esperança e sem fé por longo tempo.



E ser quem sou nunca mudará, mas dar o que quero não depende só de mim.
E não será o meu país que vai me impedir de realizar isso.



Obrigada por você que me vê como eu me vejo.
Obrigada você que está aqui ao meu lado e sente o que tenho aqui dentro.
Obrigada você que me gera oportunidade.
Obrigada a você que acredita no que eu acredito.



Agora, não tente você fazer com que eu deixe de ser o que sou. É tão mais forte que eu, que não pensarei 2x vezes em me afastar de você para realizar o que a minha essência me leva a realizar.



E que venha a nova fase dessa realização.



Cristine Zago



Obs: Profissional, minha amiga, minha instrutora pessoal, minha coach e minha psicóloga, deixo o registro do meu agradecimento pelo seu trabalho e por tudo que vem fazendo e sendo comigo… Andréia Mota “Quando é de verdade flui.”… kkkkk



Agradecimento ao meu trabalho como atriz, cantora e direcionador de mentes… Enfim… Artista.
Foi através desse trabalho que pude descobrir mais sobre o motivo de tudo isso existir.
Atuando produtora – DMA – Direcionamento Mental Artístico.



Beijos



C.z




2 Comments

  1. Parabéns por seguir seu instinto, sua intuição, sua genuína essência. Te acompanho e adoro seus textos. Vc é incentivadora para mudanças!
    Parabéns por fazer a sua essência fazer bem a tantas pessoas!

    Liked by 1 person

    1. Graça, querida. Fico tão feliz de poder passar um pouco do que tenho dentro de mim. Fico feliz por saber que as mudanças que ocorrem em mim, São inspirações pra tanta gente. UM BEIJO ENORME. C.z

      Gostar

Deixe uma Resposta para C.z Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.